BEM ABAIXO

Atravesso a floresta negra da vida. Não sei o caminho.
Quando penso que talvez esteja a chegar a algum lado,
Caio num buraco fundo.
É lá que estou agora, Não vejo qualquer luz.
Não espero uma corda amiga, muito menos um abraço.
Não tenho mapa nem estratégia.
Não há escada nem posso escalar
Talvez pudesse escalar se tivesse forças
Mas não tenho
E raízes puxam-me para baixo
Encolho-me num canto do buraco e tento chorar
Choro por dentro dos olhos, por dentro da alma
Mas o meu rosto continua seco
Assim como a minha esperança

2 comentários:

pinvoot disse...

n sabia k tinha uma colega tao inspirada..sao mt fixes os teus textos. bem diferentes ate..é msm o tipo de literatura k eu gosto. beijinho bom.

Ana disse...

Brigada. Fico feliz que tenhas gostado...
Beijo grande.